[Perfil de Campeão] Conheça um pouco mais o itabunense “Leo Bala”

Leo Bala - Pneus Rinaldi

Assim como a maioria dos grandes campeões, esse baiano de Itabuna, começou cedo nas duas rodas. Aos 4 anos, o pequeno Leonardo já acompanhava seu pai pelas trilhas das fazendas de cacau da região. Não demorou muito para o Leo começar a dar seus primeiros saltos no motocross e a brincadeira ir ficando cada vez mais séria. Mesmo com a falta de incentivo ao esporte local, o piloto itabunense transpôs vários obstáculos, dentro e fora das pistas, e hoje, se há um exemplo bem sucedido de dedicação e superação, ele se chama “Leo Bala”!

O jovem, sempre carismático e sorridente, nos recebeu na sede da BATMOTO Racing. Conheça um pouco mais esse multicampeão do motocross baiano, que se orgulha de já ter sido classificado na 51ª posição do ranking brasileiro da modalidade, mesmo competindo com uma estrutura mínima!

Itabuna Off Road (IOR) Quando você começou a andar de moto? em quem se inspirava?
Leo Bala (Leo) Comecei a andar de moto aos 4 anos de idade, fazendo trilhas com meu pai e amigos, quando aos 15 anos fui convidado pra participar de um motocross que aconteceu na minha cidade, depois disso, não parei mais, sempre me inspirando no piloto americano MacGrath.

(IOR) Quando começou a olhar para o motocross de forma competitiva?
(Leo) Quando no meu 2° ano de motocross consegui meu primeiro titulo como campeão baiano na MX2, dai a doença chamada motocross se instalou em mim e essa não tem cura (risos!). Então comecei a me dedicar de verdade e consequentemente os resultados foram aparecendo.

(IOR) Quais os seus títulos mais importantes?
(Leo) Dou muito valor a cada vitória conquistada por mim e minha equipe, mas creio que os mais importantes são os titulos de campeão baiano de motocross na MX1, Trofeu Holeshot no Campeonato Brasileiro de Motocross (Rio das Ostras 2007) e a ocupação do 51° lugar no Ranking Nacional em 2009, que para a gente foi extraordinário diante das condições da nossa motocicleta, patrocinios e estrutura em relação as principais equipes que brigam pelos principais resultados.

(IOR) Como é se manter competitivo e com alto rendimento no motocross? Fale um pouco da sua rotina de treinamentos (físico e técnico).
(Leo) Se um piloto de motocross quer estar bem condicionado e pronto para provas de motocross tem que realmente abrir mão de muitas coisas, esquecer festas, bebidas, e ter uma alimentação equilibrada. Costumo treinar com moto 3 vezes por semana, ficando segunda e sexta para descanso e manutenção das motos. Nos finais de semana geralmente estou em corridas, quando não há provas, treino no sabado e/ou domingo. Quanto ao treino fisico, vou de terça a sexta para academia onde trabalho muito a parte aeróbica como bicicleta e esteiras. 

Leo Bala, durante treinos...


(IOR) Já experimentou outras modalidades? Como se saíu?
(Leo) Ano passado tive experiencia legal com o Baiano de Cross Country, onde a convite dos organizadores, participei de 4 etapas, ganhando 3 delas. Em uma das etapas, tivemos problemas mecânicos e precisamos abandonar a prova.

(IOR) Você vem do motocross e esse ano vai correr também o Baiano de Cross Country, você pretende abandonar o motocross?
(Leo) De forma alguma, como havia dito motocross é doença sem cura, enquanto eu puder pilotar uma moto, vou estar no motocross. Porém esse ano resolvi correr também o cross country pelo fato de ser um campeonato organizado e bem estruturado e que so tem a acrescentar na minha carreira.

(IOR) Ser piloto é uma profissão para você?
(Leo) Hoje me considero sim como um profissional no motocross, uma vez que fechei contratos de patrocinios, e dependo deles para continuar no esporte, assim como, de alguma forma, eles dependem da minha imagem para divulgação de suas marcas.

(IOR) Como se sente no final de semana de competição?
(Leo) Tento me manter o mais relaxado possível, mas confesso que algumas vezes e inevitável o nervosismo que so passa após eu sentar na minha moto e começar a acelerar.

(IOR) Existe pressão dos patrocinadores e familiares?
(Leo) Existe sim, tanto dos patrocinadores como do meu pai e dos amigos que estão sempre me cobrando resultados bons, mas acho que isso não tem como ser diferente, então tento me concentrar em fazer minha parte quando entro na pista e não deixo com que isso me abale e me atrapalhe.

(IOR) Qual a sua maior alegria e maior decepção nas competições?
(Leo) Minha maior alegria no esporte é após uma corrida com vitória, ver a alegria da minha equipe, dos meu amigos, da torcida que na maioria das vezes me acolhem com um carinho enorme e principalmente do meu pai. Isso para mim é uma das motivações para continuar nesse esporte tão difícil. A minha maior decepção é chegar em alguma corrida onde o organizador esta ali somente pelo dinheiro e sem amor nenhum ao esporte, não dá a mínima atenção e segurança aos pilotos, esquecendo que ele depende de todos nós para que seu evento aconteça.

(IOR) Qual a sua motocicleta inesquecível?
(Leo) Concerteza não foi minha melhor moto, e nem sequer corri muito com ela, pois rapidamente ficou pequena pra mim, mas é inesquecível pelo fato de ter sido o começo da minha historia no motocross, era uma kx80 ano 98.

(IOR) Conta um pouco da sua rotina diária, estudo, diversão e namorada.
(Leo) Como havia dito, o motocross exige que você abra mão de muitas coisas, então quase não vou para festas e baladas, assim consigo conciliar o motocros com os estudos, faço graduação em Economia na UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz) à noite. Geralmente treino até a tardezinha, e da fazenda mesmo já tomo banho e vou para as aulas na universidade. Quando não tenho corridas e treinos nos finais de semana sempre vou pra alguma praia surfar, que é outro esporte que gosto muito e tenho como hobbie e que, de alguma forma me ajuda no preparo para o motocross. Resumindo, não sobra lá esse tempo todo para a namorada e isso é motivo de algumas briguinhas (risos), mas ela é muito compreensiva e tenho que agradecer a ela pela força que sempre me dá.

(IOR) Espaço livre fale o que quiser (agradecimentos, reconhecimentos, projetos etc).
(Leo) Agradeço por essa oportunidade de estar falando um pouquinho mais de mim. Deixo um grande abraço a toda minha equipe que fazem de tudo pra me proporcionar o melhor e sou imensamente grato aos meus patrocinadores, em especial à Frutyba, através de Taskinho e Dona Clara que estão me ajudando e muito esse ano a continuar nesse esporte tão difícil.

FICHA TÉCNICA DO PILOTO

Nome: Leonardo Barros Pereira
Apelido: Leo Bala
Idade: 20 anos
Cidade: Itabuna-BA
Moto: Honda CRF450R
Equipe: BATMOTO Racing
Modalidades: Motocross (em 2011 correrá também o Baiano de Cross Country)
Patrocinadores: Frutyba, Bat Moto, Rinaldi, Ims, Mr Pró, Posterlândia, Academia BioFit
TÍTULOS: Campeão Copa Jorge Amado Cat. 85cc 2004; Campeão Baiano MX2 Ano 2006; Troféu Holeshot Brasileiro de Rio das Ostras 2007; Bi-Campeão Baiano MX2 Ano 2007; Campeão Baiano MX1 Ano 2007; Tri-Campeão Baiano MX2 Ano 2008; Vice-Campeão Baiano MX1 Ano 2008; Campeão Baiano Nacional Força Livre Ano 2008; Bi-Campeão Baiano Mx1 2009; Bi-Campeão Baiano Nacional Força Livre Ano 2009; Campeão da Copa Sisal de Motocross Cat. MX1 2010.

Fotos: BATMOTO Racing.


Anúncios

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: